top of page

Gestão de crise X Gestão de risco: Qual a diferença?

A gestão de crise é uma atividade essencial em qualquer organização, independente do seu ramo de atuação. Ela se refere às estratégias e ações tomadas para lidar com eventos inesperados e negativos que podem afetar a reputação e a credibilidade da empresa. Esses eventos podem variar desde uma crise financeira até uma falha de segurança de dados, passando por escândalos envolvendo funcionários ou executivos da empresa.

A comunicação social é uma das áreas mais importantes na gestão de crise, pois é responsável por transmitir informações precisas e claras sobre o ocorrido para o público interno e externo da empresa. É essencial que as mensagens comunicadas sejam transparentes e objetivas, evitando qualquer tipo de informação imprecisa ou enganosa que possa aumentar a desconfiança do público em relação à organização.

Uma comunicação eficaz durante uma crise é capaz de minimizar os danos à reputação da empresa, prevenir o pânico e a desinformação, além de reduzir a ansiedade dos stakeholders. É importante lembrar que a gestão de crise não é uma atividade pontual, mas sim um processo contínuo que deve envolver toda a organização. A comunicação social, portanto, deve ser uma aliada da liderança, oferecendo suporte e orientação na tomada de decisões e no desenvolvimento de planos de ação.

A gestão de crise exige que a empresa esteja preparada para lidar com os imprevistos, e isso inclui a realização rápida de um plano de contingência bem estruturado e condizente com a realidade. A comunicação social deve estar envolvida na criação e implementação desse plano, garantindo que as estratégias comunicacionais estejam integradas às demais ações a serem tomadas pela empresa. Em resumo, a gestão de crise sob a ótica da comunicação é fundamental para a sobrevivência e o sucesso de qualquer organização durante o acontecimento dos momentos de adversidade.

Já a gestão de risco é um processo contínuo de identificação, avaliação e mitigação de potenciais riscos que possam afetar uma organização. Na comunicação social, a gestão de risco envolve identificar ameaças que possam prejudicar a reputação da empresa e desenvolver estratégias para minimizá-las.

Ao contrário da gestão de crise, que envolve ações imediatas para lidar com um evento negativo já ocorrido, a gestão de risco é uma atividade preventiva. Ela busca antecipar possíveis problemas e desenvolver planos para evitá-los ou minimizá-los, antes que se tornem crises.

Na comunicação, a gestão de risco pode incluir a monitoração de redes sociais e mídia em geral, avaliação de percepção de marca e análise de tendências do mercado. A partir dessas informações, a empresa pode identificar possíveis riscos e desenvolver estratégias para minimizá-los. Isso inclui, por exemplo, estabelecer políticas claras de comunicação e treinamento de funcionários para lidar com situações delicadas.

Embora a gestão de risco e a gestão de crise sejam diferentes, elas estão interligadas. Uma boa gestão de risco pode ajudar a prevenir crises, mas não é possível garantir que não ocorram eventos negativos imprevisíveis. Nesse sentido, a gestão de crise é uma ferramenta importante para lidar com situações inesperadas e minimizar seus impactos.

14 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page