Sistemas de gestão empresarial para terceiro setor

Atualizado: 15 de jun.

Processos bem estabelecidos e fluxos de informações eficientes e eficazes são pontos cruciais para manter uma organização funcionando plenamente e crescendo cada vez mais. Para isso a organização vai em busca de diversas ferramentas e recursos para otimizar e organizar esses processos.

No terceiro setor isso não é diferente, entidades sem fins lucrativos também tem essa demanda de otimização. Segundo Diego Ribas Adiers, diretor executivo na Conplan Sistemas

A realidade do terceiro setor é distinta dos demais setores. As demandas e anseios são específicos. Por isso, nada melhor que uma solução especializada para sua realidade, e não “adaptada”. Uma entidade deve ter uma gestão tão profissional quanto a de uma empresa nos dias de hoje para ter sucesso. ”

Por isso o sistema pode ser vantajoso em diferentes frentes “ como por exemplo a sua gestão financeira, dos associados, doadores, suas vendas, seu estoque, prestação de serviços, etc.”

Ainda segundo ele, são diversos os benefícios que um sistema de gestão pode trazer para essas organizações. Como por exemplo:

  • Ajuda a implementar rotinas e fluxos padronizados;

  • Ter informações gerenciais mais completas, ajudando na tomada de decisões;

  • Ajuda na estruturação de processos e boas práticas que funcionam independentemente das pessoas;

  • Permite aos gestores a continuidade do “negócio” de forma mais sustentável, dentre outras...

Mesmo sendo tão importante pra organização e trazendo tantos benefícios, os sistemas de gestão geralmente não é implementado logo na sua criação, mas sim quando a forma de organização interna utilizada já não está mais dando conta e a estrutura organizacional já está com diversos problemas. Por isso o Diego Alerta,

Tudo fica mais difícil, até mesmo implementar um sistema de gestão, quando o caos já foi instaurado, quando se perdeu controle das contas por exemplo. Quanto antes implementar ou procurar um sistema de gestão, menores as dores futuras, e mais bem gerida a ONG será. A consequência disso é maior impacto social gerado por ela.

Nesse mesmo contexto, ele ressaltou ainda que a implementação é a fase mais importante, e que define o sucesso do projeto, ele diz: “ A implementação é uma etapa mais importante para definir o sucesso do projeto. Por isso, ao longo desses últimos 12 anos temos aprimorado e melhorado essa etapa em conjunto com nossos consultores. É preciso que todos envolvidos estejam alinhados e comprometidos com a implementação para atingir um bom resultado. ”


O Brasil possui entre 236 mil e 781 mil* ONGs ou OSCs, segundo a pesquisa FASFIL do IBGE e o Mapa das OSCs do IPEA respectivamente. Além disso, há uma grande variedade de tipo de organizações, o que desafia a nossa percepção tradicional do que de fato é uma ONG ou OSC. Dentro desse grupo existem creches, lares de idosos, associações comerciais, associações de taxistas, de pequenos produtores e até clubes de futebol. Neste universo também existem as organizações que não estão de fato ativas, ou seja, possuem um CNPJ ativo porém não estão executando nenhuma atividade neste momento. *

Esses números mostram que as instituições sem fins lucrativos são um grande setor no país e que, por consequencia, tem grande impacto social. Por isso a importância de que sejam pensados serviços e ações especificos para ajudar que esse setor se mantenha em desenvolvimento.

* Fonte: https://www.phomenta.com.br/quantas-ongs-tem-o-brasil

Colaboração: Diego Ribas Adiers, diretor executivo na Conplan Sistemas

6 visualizações0 comentário